Informativo

Você sabe qual é a capital nacional da semente de soja?

O município de Abelardo Luz fica em Santa Catarina, possui 18 mil habitantes e detém um título que traz muito orgulho para população local, mas mais do que isso aos sojicultores: ele é a capital nacional da semente de soja.

“Art. 1º É conferido ao Município de Abelardo Luz, Estado de Santa Catarina, o título de Capital Nacional da Semente de Soja.” O título veio em formato de lei em maio de 2014, pela assinatura da então presidente da república, Dilma Roussef.

A honraria não veio à toa, já que sozinho o município produz por ano mais de 50 mil toneladas de sementes de soja, de 50 variedades. Só de núcleos de produção de sementes, são 15 por lá. Os insumos seguem para as lavouras de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e também de Mato Grosso do Sul.

Exigência de qualidade

Nas unidades de beneficiamento de Abelardo Luz os grãos são separados por peso e os que apresentam defeitos vão direto para o descarte. Cada troca de variedade de soja exige que as máquinas fiquem um dia paradas para limpeza, para evitar misturas com sementes de outras cultivares. As exigências com a qualidade são a base do trabalho.

“A legislação do Ministério da Agricultura específica no mínimo uma soja com 80% de germinação e 98% de pureza. Mas nós conseguimos atingir números de até 97% de germinação e 90% de vigor. Isso justamente por que o ambiente climático favorece isso. O alto vigor e a qualidade fisiológica da semente é muito boa por aqui”, destaca o presidente da Associação dos Produtores de Sementes do município, José Vogel, que também produz sementes.

Até a colheita da semente por ali é diferente. Sem dessecar a planta, para evitar danos. E o grão só sai da lavoura quando a umidade estiver em 14%, para que não seja necessário passar por secagem e, assim, conservar ao máximo a semente.

“O produtor da nossa região tem excelência na produção. Ele se dedica aquilo que faz e abre mão de uma produtividade maior para produzir grãos comerciais com rendimento melhor. Opta por fazer a produção das sementes não tão produtivas para nossa região, mas que é boa para outros mercados consumidores”, comenta o presidente do Sindicato Rural, Fabrício Luiz Stefani.

Evento vitrine para as sementes

Entre os dias 4 e 7 deste mês, o município sediou a feira Exposoja, que recebeu mais de quarenta mil pessoas interessadas justamente em conhecer esse importante trabalho. O Canal Rural não ficou de fora e levou o Fórum Soja Brasil para debater a importância das sementes de qualidade no atual sistema de produção brasileiro.

A Exposoja também tem sido vista como “a oportunidade de mostrar o trabalho feito por eles para o restante do país”.A capital nacional de semente de soja se faz a partir do esforço de agricultores como o José Caetano Pacheco, que se divide entre a soja cultivada para venda dos grãos e a produção de sementes que farão a safra de outras lavouras.

“É uma terra abençoada, né? Aqui tudo que se planta dá. Tenho 47 anos e nunca vi alguém dizer que perdeu algo aqui, não tem. Você pode passar alguma situação, alguma frustração de safra, mas Abelardo Luz, tudo que planta dá. Pode ter certeza, pode plantar. Semente colhida aqui vai ter sucesso”, garante Pacheco.

Segundo o prefeito da cidade, Wilamir Domingos Cavassini, a exposição vem coroar e valorizar estes produtores, mostrando para o Brasil as potencialidades que tem Abelardo Luz. Nosso povo é ordeiro e trabalhador e quer mostrar para o país que temos um potencial muito forte de investimentos e que o agronegócio que é muito rico”, diz.

Debate no Fórum Soja Brasil

Na última sexta-feira, dia 5, foi realizado mais um Fórum Soja Brasil da safra 2018/2019, diretamente da feira Exposoja, Em Abelardo Luz (SC). O evento, que reuniu painelistas renomados, discutiu a importância de se investir em sementes de qualidade.

O mediador do debate foi o professor e comentarista do Canal Rural, Dejalma Zimmer, que abriu os trabalhos mostrando um estudo recente sobre a diferença entre o desenvolvimento normal de uma semente de qualidade e de insumos que sofreram algum problema em sua produção.

Um estudo realizado recentemente mostrou que a semente de qualidade rendeu 237 vagens, a com cercospora rendeu 168 vagens, com percevejos 77 vagens, com umidade 67 e por fim, com problema de mecanização com 42 vagens. Isso significa que o pior dos casos rendeu 80% menos vagens que a semente de qualidade.

Fonte:

Fotos